Para um diagnóstico preciso de como a Pressão Arterial (PA) se comporta em cada indivíduo e quais os riscos de sua variação é recomendada a aplicação do exame de Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial, conhecido pela sigla Mapa.

A medição isolada da pressão arterial de um paciente revela um pouco sobre o seu estado atual, mas é um dado muito vago para determinar se ele sofre de alguma doença crônica como hipertensão arterial.

Existe uma série de fatores, principalmente emocionais, que podem contribuir para que o paciente esteja com a pressão arterial (PA) alta, inclusive o nervosismo com a presença do profissional de saúde ou estresse.

O exame Mapa de pressão arterial pode ser aplicado por um enfermeiro ou técnico em enfermagem treinado para isso e o laudo deve ser emitido por um profissional da medicina com conhecimento técnico sobre o método.

Confira a seguir quais as recomendações para aplicação deste exame e em que casos é indicado.

Em que casos o exame Mapa é indicado?

Existem diferentes situações que podem levar o médico a solicitar o exame MAPA, as mais eventuais são para o diagnóstico de algum tipo de hipertensão ou para monitorar se o tratamento ou remédio indicado estão garantindo o efeito esperado.

No caso de busca por um diagnóstico, o profissional fará a solicitação quando tiver algum tipo de suspeita, geralmente com base em alterações constatadas no paciente, que já pode ter registrado pressão arterial acima ou abaixo do recomendado, ou a partir de uma lesão em um órgão-alvo da pressão arterial alta.

De acordo com as diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), as principais indicações para o exame são:

  • Suspeita de hipertensão do jaleco branco (quando a pressão arterial do paciente sobe quando ele está diante de profissionais da área da saúde);
  • Hipertensão resistente;
  • Suspeita de hipertensão mascarada;
  • Avaliação da eficácia do tratamento anti-hipertensivo;
  • Suspeita de hipertensão durante o sono;
  • Avaliação do descenso da pressão arterial durante o sono;
  • Hipertensão na gestação;
  • Avaliação de sintomas;
  • Identificação de possíveis picos de pressão;
  • Identificação de possíveis episódios de hipotensão;
  • Avaliação de episódios de síncope e lipotímia;
  • Avaliação de hipertensos limítrofes;
  • Avaliação de neuropatia autonômica;
  • Avaliação da pressão arterial em idosos;
  • Identificação de possíveis episódios de hipotensão postural.

Quais as orientações que o profissional da área da saúde deve passar ao paciente?

Para um resultado satisfatório é importante que o paciente tenha cuidados como:

  • Realizar o exame em um dia representativo das atividades habituais;
  • Não tomar banho durante o exame para assim não correr riscos de molhar o equipamento;
  • Vestir roupas confortáveis para não limitar o movimento do manguito;
  • Seguir a orientação do médico sobre os medicamentos de uso crônico;
  • Quem não pratica exercício físico regularmente deve evitar fazê-lo nas 24 horas anteriores ao exame;
  • Levar lista de medicamentos em uso com doses e horários da prescrição.
Fonte: https://portaltelemedicina.com.br/blog/exame-mapa-o-que-e-indicacoes-e-para-que-serve