O exame Holter é um eletrocardiograma com maior tempo de duração – de no mínimo 24 horas. O objetivo é caracterizar e diagnosticar ocorrências de comportamento elétrico anormal do coração durante atividades diárias (sono, trabalho, exercícios, estresse emocional, repouso e etc.). Ele detecta, classifica e quantifica os vários tipos de arritmias, além de calcular a variação da frequência cardíaca.

Para realização deste procedimento não invasivo, um monitor leve e portátil é acoplado à cintura do paciente. Este equipamento é ligado por fios e eletrodos que são grudados em pontos estratégicos do tórax. A intenção é monitorar a arritmia do paciente durante um dia rotineiro. Médicos de qualquer especialidade podem solicitar este exame, mas somente um cardiologista com conhecimento técnico em arritmia pode emitir o laudo.

 

Indicações do exame Holter

O Holter é um exame complementar, por isso normalmente acompanha outros testes ou é pedido na sequência de um resultado de eletrocardiograma (ECG) que não acusou nenhum problema, já que permite uma investigação mais profunda.

Os principais sintomas que levam o médico a solicitar o exame são:

  • Tonturas;
  • Desmaios;
  • Palpitações.

O Holter calcula a frequência cardíaca média, máxima e mínima a cada hora, a distribuição de eventos arrítmicos e isquêmicos e os traçados eletrocardiográficos selecionados.

Além disso, o exame Holter é muito utilizado para acompanhar o tratamento de pacientes que usam marcapasso. A Sociedade Brasileira de Cardiologia sugere a utilização deste método nas seguintes situações:

  • Confirmação de arritmias como causa de sintomas ocorridos durante as atividades diárias;
  • Detecção de isquemia miocárdica;
  • Documentação da eficácia terapêutica de agentes antiarrítmicos e anti-isquêmicos;
  • Predição de eventos cardíacos futuros.

 

Preparo e orientações ao paciente

Um resultado satisfatório no exame Holter depende da qualidade do equipamento, manutenção dos cabos, do posicionamento correto dos eletrodos e da preparação da pele e dedicação do paciente.

O profissional de saúde deve orientá-lo a tomar banho antes de iniciar o procedimento, já que não é permitido molhar o equipamento. O paciente também precisa ser aconselhado a evitar o uso de cremes ou pomadas, pois isso pode prejudicar a fixação dos eletrodos.

Homens com pelo no peito devem fazer tricotomia antes do exame. É recomendado que este procedimento seja realizado por um profissional da clínica devido ao risco de ferimento.

Colchões e travesseiros magnéticos podem gerar oscilações nos resultados e, portanto, o contato com este material precisa ser evitado. Para um bom resultado também é importante que o paciente anote os horários em que sentiu qualquer tipo de sintomas, como falta de ar, dor no peito, tonturas, palpitações, desconforto torácico ou náuseas, além de especificar o que estava fazendo naquele momento.

 

Passo a passo para a realização do exame

O exame Holter não requer uma preparação prévia do paciente, apenas é recomendado que ele siga as orientações acima para garantir que a pele esteja nas condições ideais.

O número de eletrodos colocados no tórax do paciente varia de acordo com o equipamento. O período de instalação, colocação dos fios nos eletrodos e no Holter, demora em média 15 minutos.

Concluída esta etapa, o paciente é liberado para seguir com as atividades rotineiras pelo período estabelecido pelo médico (normalmente 24 horas). Após, ele deve retornar à clínica para retirar o aparelho e repassar as anotações. O material registrado é passado para o computador para posterior análise.

 

Fonte: https://portaltelemedicina.com.br/blog/exame-holter-o-que-e-indicacoes-e-boas-praticas-na-realizacao